Contador de Visitas

Seguidores

Razão e sentimento

Razão e sentimento
Minha foto
Uma menina-mulher sonharadora convicta, pore´m de uma racionalidade necessária.

.

.
sexta-feira, 10 de julho de 2009
É preciso ter calma e paciência. Algumas vezes a gente sabe o caminho certo e não quer pegá-lo porque ele é tortuoso, tem várias pedras e as rosas, espalhadas esporadicamente pelo tal caminho, são cheias de espinhos. Você ver elas ali a seu alcance, mas por algum motivo suas mãos não conseguem tocá-las, os espinhos lhe furam e mesmo não sendo uma dor insuportável, incomoda e você desiste, prefere apenas vê-las. Em raros momentos você encontra uma chance de tocá-las e vai se enganando com aquele toque, fica esperando o momento de tocá-las novamente, vai se enganando e se contentando com esse pouco.
Esse caminho é o mais fácil e você vai ficando, encontrando uma esperança aqui outra ali, um rosa vermelha, outra amarela e os dias vão passando. O caminho paralelo é bem pior embora sua consciência diga que no fim de todos os tormentos, será do caminho mais difícil que se retira a verdadeira vitória. A qualquer momento você pode mudar de caminho, não há paredes que lhe prendam, mas é necessário coragem e ela não vem.
Seus passos vão se adiantando, você vai seguindo, se agarrando a uma coisa aqui outra ali, se dando desculpas esfarrapadas para os picos de consciência e sobriedade e, por incrível que pareça, se prende de tal forma a essas “mentiras” que a coragem dá as costas de vez.
Mas um dia, um belo dia comum, o destino, a consciência, o acaso e quem sabe todos eles juntos resolvem encontrar você, espetá-lo, feri-lo para mostrar-lhe, mesmo que você não queira ver, a dolorosa verdade. E você, sem opção, troca de caminho.
Lágrimas, dificuldades, mas nesse caminho as flores também existem e seus espinhos são mais espaçados e você consegue tocá-las quando elas aparecem, consegue cheirá-las, senti-las, consegue guardar em seus dedos a textura de suas pétalas. A verdade é sua companheira, você segue sozinho com ela e a voz dela dói em muitos momentos. Em alguns, você até esquece como é bom tocar as flores, mas é preciso ter calma e paciência.
É preciso esperar pela vitória real. É preciso relembrar, a cada momento, que não vale a pena sentir o incomodo dos espinhos no caminho mais fácil, se no fim tudo será ilusão. É preciso relembrar que a verdade dói, porem presenteia mais a frente.
É preciso ter calma e paciência para superar a mudança dos caminhos, as dores da saudade e do costume. E, inclusive, saber que os dois caminhos estão ali e você pode passar de um pro outro a qualquer momento, mas que deve permanecer, apesar de algumas dores, no caminho certo por mais difícil que ele seja.

1 comentários:

Arizinha disse...

Obrigada pelo texto!