Contador de Visitas

Seguidores

Razão e sentimento

Razão e sentimento
Minha foto
Uma menina-mulher sonharadora convicta, pore´m de uma racionalidade necessária.

.

.
terça-feira, 9 de dezembro de 2008



"O pior cego é aquele que não quer ver"





As pessoas têm uma tendência natural a idealizar, gostam de serem cegas. A cegueira libera a imaginação e cria um mundo novo e se é para criar por que precisa ser algo próximo do real? A realidade se vive. A cegueira traz conforto.
Sabe o que é melhor em ser cego? A visão. Sim, a visão. Você não sabe que os cegos enxergam? Fecham-se os olhos físicos e abrem-se os olhos da idealização. Todos somos cegos em algum momento, todos transformamo-nos em cegos quando essa cegueira traz calma, tranquilidade.
Uma das cegueiras mais comuns é a que envolve relacionamentos, não interessa o tipo: pode ser um amor que não existe, pode ser uma amizade que não era do tamanho que parecia ou até um ato de caridade que depois de feito. Mais cedo ou mais tarde nos pabulamos do favor prestado.
Quando se está cego de amor, por exemplo, um talvez dito com voz murcha é um sim; um 'agora eu não posso, me dá um tempo' é me espere, um dia serei seu. Não queremos enxergar. Nosso senso de realidade foi substituído, até nossos ouvidos nos enganam.
E em relação a amizade isso piora. As pessoas pintam esse sentimento das cores mais lindas, cores que despertam o desejo de todos. Há quem passe a vida toda querendo uma amizade verdadeira. Bobagem.
As amizades são exatamente como os amores e os favores prestados, mais cedo ou mais tarde elas se vão; mais cedo ou mais tarde eles serão cobrados. Só são lindas e verdadeiras enquanto vive-se a cegueira. Não agüentam as más-impressões, não agüentam as verdades.
Eu mesma acreditei na amizade, uma amizade que eu lutei tanto para conseguir e não me perguntem por que lutei, nem eu sei, mas eu acreditei. Vi nesse sentimento uma parte de minha vida realizada.
Bobagem a minha, a amizade só foi verdadeira enquanto eu me humilhava, enquanto eu corria atrás, assumia todas as culpas, pedia perdão pelos erros feitos e recebidos. No instante que cansei disso, ela passou a ser nada.
Talvez a melhor maneira de viver seja exatamente sermos cegos, talvez o certo e a única forma de suportarmos a verdade seja enfeitando-a um pouco. Não recrimino isso, eu faço e farei se esse "fake" me tirar as dores do mundo.
Bobagem a minha acreditar que a amizade, que os sorrisos e os apoios mútuos eram reais. Eram apenas mais uma das cegueiras que criamos.

2 comentários:

Patty disse...

uuu

Patty disse...

Que texto é esse hein?!
Lindo, lindo. Adorei!
Principalmente a parte da amizade, realmente a maioria das vezes pintamos o que só existe na NOSSA cabeça...
Parabéns mais uma vez,
Te adoro;*